segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

"Cinder", Marissa Meyer


Ficha técnica de: Cinder
Titulo original: Cinder
Autor: Marissa Meyer
Data da Publicação: 10/2012
Editora: Planeta Editora
IBSN: 9789896573270
Páginas: 318
PVP (em euros): 17,76
Página da autora: aqui

"Com dezasseis anos, Cinder é considerada pela sociedade como um erro tecnológico. Para a madrasta, é um fardo. No entanto, ser cyborg também tem algumas vantagens: as suas ligações cerebrais conferem-lhe uma prodigiosa capacidade para reparar aparelhos (autómatos, planadores, as suas partes defeituosas) e fazem dela a melhor especialista em mecânica de Nova Pequim. É esta reputação que leva o príncipe Kai a abordá-la na oficina onde trabalha, para que lhe repare um andróide antes do baile anual.
Em tom de gracejo, o príncipe diz tratar-se de «um caso de segurança nacional», mas Cinder desconfia que o assunto é mais sério do que dá a entender.
Ansiosa por impressionar o príncipe, as intenções de Cinder são transtornadas quando a irmã mais nova, e sua única amiga humana, é contagiada pela peste fatal que há uma década devasta a Terra. A madrasta de Cinder atribui-lhe a culpa da doença da filha e oferece o corpo da enteada como cobaia para as investigações clínicas relacionadas com a praga, uma «honra» à qual ninguém até então sobreviveu. Mas os cientistas não tardam a descobrir que a nova cobaia apresenta características que a tornam única. Uma particularidade pela qual há quem esteja disposto a matar."


Bom este é daqueles livros que primeiro estranha-se mas depois entranha-se e é impossível largar. Após uma pausa nos livros mais juvenis, esta leitura foi uma óptima escolha para começar a lê-los novamente.

A escrita? Não tenho nada a apontar, é bastante simples e permite uma leitura rápida.

O enredo? É aqui que reside a magia deste livro. Adorei como a escritora criou uma realidade completamente diferente, cheia de ideias inovadoras e com uma adaptação subtil do conto de fadas da Cinderela. Aqui não temos uma fada madrinha, mas temos uma espécie de madrasta má, um baile, um príncipe, um carro amarelado a substituir a  carroça e até uma espécie de “sapato” perdido.  Acção decorre num mundo pós apocalíptico, onde humanos são auxiliados nos seus afazeres por robôs,  a tecnologia evolui de forma a que os órgãos/membros dos humanos possam ser substituídos por máquinas quando estes se encontram incapacitados, originando assim uma espécie de cyborgs (homem e máquina).  Logo que um humano é transformado em cyborg o seu lugar na hierarquia social é rapidamente relegado para o fim e são tratados como meras máquinas.  Para além dos humanos existe também o povo lunar que é visto como uma aberração e é que governado por uma tirana opressiva. Não podia faltar a existência de uma peste mortal  que se alastra rapidamente e para a qual não há cura.   

As personagens? São interessantes mas não muito aprofundadas. Cinder é uma jovem cyborg mecânica que é o sustento da casa mas que mesmo assim é vista pela madrasta e por uma das irmãs como sendo um ser desprezível, por isso, tende a ter uma auto estima muito fraca e ser pouco decidida. No entanto é  uma personagem que cresce e que vai tendo uma evolução gradual. Kaí é o principie encantado, neste caso, o imperador de Nova Pequim, apesar de ser bastante jovem revela-se bastante adulto e ponderado nas suas decisões (excepto no final que me desiludiu um pouco).

Conclusão? Não esperava mas acabei por gostar bastante e fiquei em pulgas para ler os próximos livros.

Curiosidades? Este livro faz parte de uma serie, a TheLunar Chronicles, que será composta por quatro livros, todos eles inspirados em contos de fadas. O próximo titulo será o Scarlet, tem previsão de lançamento (em inglês) já no próximo mês e é inspirado no conto de fadas do Capuchinho Vermelho. Os seguintes são Cress (2014) e Winter (2015).

 







2 comentários:

  1. Adorei este livro. Dentro do género estão muito acima da média.
    Boas leituras*

    ResponderEliminar